Santa Rita de Cássia

Santa Rita de Cássia

Nas proximidades da estrada geral de Rio Caeté, na divisa com Belluno (hoje Siderópolis), a abertura de uma nova área de mineração deu rumos novos a uma comunidade. Mina Gaúcha, além das moradias e das casas comerciais, edificou também a sua igreja.

Com o fechamento da mina, os moradores de Rio Caeté Alto, ligados religiosamente à comunidade de Rio Caeté, solicitaram ao Padre Agenor Neves Marques, então pároco de Urussanga, que autorizasse a comunidade a construir uma capela e trazer a imagem de Santa Rita de Cássia para ser a sua padroeira. Todos os móveis da antiga igreja da Mina Gaúcha foram transferidos para a nova igreja, a qual foi inaugurada em 1984.

A capela de Santa Rita, em Mina Gaúcha-Rio Caeté, ficou próxima demais de uma nova capela situada em Cocal, a qual estava em construção junto à escola também transferida para Rio Perso (Cocal). Havendo ficado solitária e abandonada, o povo pediu para transferir a capela de Santa Rita para um local que fosse mais próximo dos colonos de Rio Caeté Alto. Havendo escriturado a terra e elaborado a planta de acordo com as exigências, o pároco autorizou o início das obras. Os fabriqueiros voltaram radiantes, porque não se conformavam com a ideia de fechar a capela ou transferi-la para Cocal”. Livro Tombo, n. 5, p. 76, de 20 abr. 1983.

Com uma arquitetura muito simples, o atual templo preserva em seu interior sua maior relíquia: um altar-mor esculpido em madeira devidamente acurado e ornado com detalhes individuais.
Atualmente, a comunidade é composta por 10 famílias católicas e duas de outros credos. Possui um Grupo de Famílias, além de uma capelinha da Mãe Peregrina que visita as residências. Para ajudar na administração a comunidade conta com a Comissão para Assuntos Econômicos e Pastorais.

SANTA RITA DE CÁSSIA

Santa Rita de Cássia nasceu na Itália, a 22 de maio de 1381, na região da Úmbria. Seus pais, Antônio e Amada Mancini, já idosos, rogavam a Deus a vinda de um filho. Nasceu-lhes a pequena Margherita, daí sua abreviatura: Rita. Quando jovem casou-se com Paulo Fernando. Tiveram dois filhos: João Tiago e Paulo Maria. O marido, de gênio forte e colérico, maltratou-a muitas vezes. Rita, graças à bondade de coração e às suas preces, conseguiu convertê-lo para Deus. Mas seu esposo morreu, assassinado, vítima de lutas políticas da época. Os filhos, jovens, quiseram vingar a morte do pai.

Rita, preferindo vê-los mortos que transgredindo a lei divina, pediu a Deus que os levasse para o céu antes de se mancharem com aquele crime. Morreram ambos, dizimados por uma peste que arrasou a Europa naquela época. Viúva e sem filhos, Rita dedicou-se ao socorro dos pobres e enfermos, ajudando a uns e a outros com alimento, visita, conforto e trabalho. Sentindo o chamado de Deus, procurou o Convento das Irmãs Agostinianas de Santa Maria Madalena, em Cássia, para tornar-se religiosa. No dia 22 de maio de 1457, Rita entregou sua bela alma a Deus. No campanário do Convento os sinos começaram a repicar festivamente, tangidos por mãos misteriosas. A chaga de sua fronte que tinha um odor fétido, fechou-se na mesma hora. No lugar do habitual mal cheiro que dela se exalava, passou a exalar um discreto perfume.

SANTA RITA DE CÁSSIA

Informações:

Local

Rio Caeté Alto

Telefone

(48) 8836.3204

Compartilhar

Vídeos Postados

Conecte-se conosco