São Lourenço

São Lourenço

A comunidade de Rancho dos Bugres teve seu início por volta de 1880. Estas primeiras famílias italianas, movidas pela fé, ergueram uma igreja para realizar as suas celebrações. No terreno doado por Gervásio Bortoluzzi foi erigido o primeiro templo, todo em pedra. A imagem de São Lourenço, eleito padroeiro daquela localidade, foi trazida da Itália, doação de Abramo Romagna, no final do século XIX.
Em 1966, o desejo de construir uma igreja maior que pudesse acolher o numeroso povo da comunidade, levou à demolição da igreja de pedra, dando lugar a uma igreja maior, em alvenaria. Uma última missa foi celebrada antes da demolição.

A segunda igreja começou a ser construída em 1967 com a ajuda de todas as famílias da comunidade e foi inaugurada no dia 04 de junho de 1971. Durante as celebrações de inauguração, o repique de sinos chamava o povo para a Santa Missa presidida pelo pároco de Urussanga, padre Agenor Neves Marques.

Foi inaugurada  com toda a solenidade a nova capela de São Lourenço, de Rancho dos Bugres, testemunho de fé de um reduzido número de famílias. Comissão construtora: Angelo Saviato, Euclides Cancelier, Antenor Menegaz, Lauro Della Bruna, Vergíneo Bonot e Waldir Rosso. As janelas e portas, forro e madeiramento foram doados por Natalino Marques e Otilia Neves Marques. As famílias de Hilário e Antenor Savi Mondo doaram  as pedras e a mão de obra”. Livro Tombo, n. 3, p. 137. 

Atualmente, a comunidade de Rancho dos Bugres possui 45 famílias católicas e é administrada pela Comissão para Assuntos Econômicos e Pastorais. A animação pastoral é realizada pelo Apostolado da Oração, com seus 20 membros, o Apostolado da Mãe Peregrina, com duas capelinhas, além da Equipe de Liturgia, responsável pelos momentos celebrativos.

SÃO LOURENÇO

São Lourenço sofreu o martírio durante a perseguição de Valeriano, em 258. Era o primeiro dos sete diáconos da Igreja romana. A sua função era muito importante, o que fazia com que, depois do Papa, fosse o primeiro responsável pelos bens da Igreja. Como diácono, São Lourenço administrava os bens da Igreja, dirigia a construção dos cemitérios, olhava pelos necessitados, pelos órfãos e viúvas. Quando o prefeito da cidade teve conhecimento dos grandes tesouros da Igreja e que Lourenço era o administrador, mandou chamá-lo em sua presença. Pediu, então, um prazo para fazê-lo, dizendo que tudo entregaria. Confessou que a Igreja era muito rica e que a sua riqueza ultrapassava a do imperador. Foram-lhe concedidos três dias. São Lourenço reuniu os cegos, os coxos, os aleijados, toda sorte de enfermos, crianças e velhos, e levou-os à porta da igreja, para que o político verificasse os tesouros da igreja. Indignado, o governador condenou-o a um suplício especialmente cruel: Amarrado sobre uma grelha, foi assado vivo e lentamente. Em meio aos tormentos mais atrozes, ele conservou um discreto sorriso; e com mansidão disse ao juiz: “Se desejardes, podeis dar ordem para que me virem, pois já estou bastante assado deste lado!”.  São Leão Magno assim expressou seu martírio: “As chamas não puderam vencer a caridade de Cristo; e o fogo que queimava por fora foi mais fraco do que aquele que lhe ardia por dentro.”

Igreja em pedra - demolida para construção da nova edificação

Igreja em pedra - demolida para construção da nova edificação

Interior da igreja com vista para o altar

Interior da igreja com vista para o altar

SÃO LOURENÇO

Interior da igreja com vista para os fundos

Informações:

Local

Rancho dos Bugres

Telefone

(48) 3465.4671

Compartilhar

Vídeos Postados

Conecte-se conosco