Conhecer a fidelidade de Deus!

Quarta-feira – 4ª Semana da Quaresma

18 de março de 2015

 1ª Leitura: Is 49,8-15: “Preservei-te para seres elo de aliança entre os povos e para restaurar a terra”

Salmo Responsorial 144 (145): “Misericórdia e piedade é o Senhor!

Evangelho: Jo 5,17-30: “O Filho dá a verdadeira vida”

  

Conhecer a fidelidade de Deus!

 

Meus irmãos e minhas irmãs!

Vivendo esta caminhada de preparação para a Páscoa do Senhor, os textos bíblicos que estamos rezando nesta quarta-feira da 4ª semana da Quaresma, como ecos da liturgia do último domingo, continuam nos apresentando os sinais da presença de Deus entre nós.

Na primeira leitura, o profeta Isaías apresenta um Deus que caminha conosco. Javé é o Deus tem um carinho especial pelo povo de Israel. Israel está no coração de Deus. Este carinho, este amor de Javé é maior que o próprio amor materno. E porque ama Israel ele é fiel; por amar aquele povo tão sofrido e desordeiro Ele intervém na história.

Israel é um sinal prefigurativo de toda a humanidade, de todos os povos. Hoje, nós somos os “novo Israel”; nós somos o “novo povo de Deus” peregrinando no mundo a caminho da “nova Jerusalém” (Jerusalém celeste).

Como entender a fidelidade de Deus para com um povo tão infiel?

Como entender a fidelidade de Deus por todo ser humano?

A primeira resposta para entender essa fidelidade é: olhar para Nosso Senhor Jesus Cristo e perceber que a Encarnação do Filho de Deus é uma manifestação de amor.

Em Jesus Cristo, o Espírito Santo nos ajuda a compreender que Deus é ternura, tem um coração de carne, um coração que sente, que se compadece, um coração que ama.

Cristo Jesus nos revela que Deus é Pai, que a vontade de salvar o homem é superior a qualquer lei, que Ele e o Pai são um. Estas verdades São João nos fala no Evangelho de hoje.

A segunda resposta para entendermos a fidelidade de Deus é olhar para nossa vida, para a história que estamos tecendo no Espírito do Senhor.

Nossa história nunca é construída longe dos olhos de Deus. Deus continua perto de nós, continua entregando-nos a verdadeira vida através da experiência obediente de Jesus.

Se, talvez, na nossa vida, as coisas não têm dado muito certo, se o sofrimento tem-nos invadido, não pensemos que Deus-Pai está ausente. Ele está presente: “O Filho e o Espírito Santo são as duas mãos que o Pai usa para chegar até nós” (Sto. Irineu de Lião). É assim que Deus Pai nos ensina a vivermos a fidelidade a Ele.

Que o Cristo-Palavra, na ação do Espírito Santo, seja o programa permanente de nosso processo de conversão. E que a Virgem Maria e São José, intercedam por nós a fim de que nos aproximemos da Mesa Eucarística renovados!

Compartilhar
Conecte-se conosco