Escolhas e renúncias que nos levam à Felcidade

Quinta-feira depois das Cinzas

19 de fevereiro de 2015

 1ª Leitura: Dt 30,15-20: “Escolhe, pois a vida”

Salmo Responsorial 01: É feliz quem a Deus se confia.

Evangelho: Lc 9,22-15: “Tome a sua cruz e siga-me”.

 

Escolhas e renúncias que nos levam à Felicidade

 Meus irmãos e minhas irmãs!

Juntos estamos iniciando a caminhada quaresmal.

Nesta quinta-feira depois das cinzas, a liturgia da Palavra nos coloca na dinâmica do seguimento de Jesus até o Calvário, e para além da morte de Cruz.

O Espírito de Deus que inspirou a redação deuteronomista mostra que o Senhor faz ao ser humano uma proposta de vida e de felicidade e o critério é único: escutar a sua Palavra e viver os mandamentos.

Deus sempre faz uma proposta, sempre oferece o melhor. Cabe ao ser humano decidir o que quer fazer de sua vida, o que quer fazer com os dons que recebeu.

A cada novo dia, eu e você, temos a oportunidade de vivermos com mais profundidade a Palavra, de recomeçarmos, de sermos mais fieis, ou simplesmente deixar a vontade de Deus “passar” pelos nossos ouvidos.

Nossa vida é sempre feita de escolhas, de opções. É através dessas escolhas que vamos nos construindo humanamente (diria Sartre), integrando nossa concupiscência (inclinação para o pecado). Há decisões importantes outras sem relevância, algumas essenciais, outras fugidias dos sonhos e desejos que temos. Todavia, a escolha certa nem sempre é a mais fácil e a que vai nos fazer mais felizes naquele momento da decisão. A escolha certa nunca fazemos sozinhos, sempre a faremos pela ação do Espírito Santo.

As propostas de Deus, nosso Senhor, para nossa felicidade se resumem numa única: na encarnação do seu Filho para nos salvar! Esta é a grande e principal opção que somos convidados a fazer em nossas vidas: optar por Jesus Cristo, sua palavra, expressão do Reino de Deus.

Nesta quinta-feira, Ele mesmo, na liturgia da Palavra que a Igreja celebra,  nos diz que segui-lo não é fácil. É preciso estar preparado (a) para as rejeições, perseguições, humilhações, incompreensões e até a morte.

Na verdade, seguir a Jesus Cristo é descobrir na vida e no peregrinar deste mundo o que é essencial para um cristão, para um filho (a) de Deus. É ele mesmo que coloca duas condições para a verdadeira felicidade: “renunciar a si mesmo!” e “tomar a sua cruz!”.

Termino minha oração perguntando a mim mesmo e também a você: o que preciso renunciar para seguir verdadeiramente a Jesus Cristo? O que preciso renunciar para viver realmente a sua Palavra em nível pessoal e comunitário? Olhando rapidamente para a nossa realidade, ouso responder: romper com o egoísmo e principalmente com a falta de confiança no Senhor!

Que a Virgem Maria, nossa Mãe, nos acompanhe e nos ajude!

Que assim seja!

Compartilhar
Conecte-se conosco