Somos a nova vinha do Senhor!

Sexta-feira

06 de março de 2015

 1ª Leitura: Gn 37,3-4.12-13.17-28 – “Ai vem o sonhador”

Salmo Responsorial 104 (105): Lembrai sempre as maravilhas do Senhor.

Evangelho: Mt 21,33-43.45-46: “O Reino de Deus será entregue a um povo que produzirá frutos”.

Meus irmãos e minhas irmãs em Cristo! Hoje, primeira sexta-feira do mês, nesta segunda semana da Quaresma a Liturgia da Palavra nos apresenta a crueldade e violência de alguns homens do Antigo e do Novo Testamento com o objetivo de conduzir-nos à reflexão sobre os nossos atos e assim melhorar a nossa conduta conformando-a com os ensinamentos de Deus.

A primeira leitura narra a maldade dos filhos de Jacó praticada contra o irmão caçula (José) por ciúmes. Ódio, inveja, grosseria no falar são sinais da dureza de coração desses homens e de quem precisa crescer na arte de amar e conviver com as diferenças. Esse tipo de comportamento desses homens do texto sagrado é para nós oportunidade de um bom exame de consciência nesta Quaresma.

José, o filho mais novo de Jacó, a pedido do pai, foi ao encontro dos irmãos que pastoreavam o rebanho. Os irmãos tinham inveja dele porque era o preferido do pai. Movidos pela inveja, atentam contra a vida do rapaz jogando-o num poço e depois vendendo-o aos ismaelitas por 20 moedas de prata.

A história humana, de Abel a José, dos profetas a Cristo é cheia de violência, egoísmos, de homens que querem destruir a verdade, o bem, os sonhos. José era um jovem, sonhador neste período, que teve os sonhos roubados pelos próprios familiares. Olhemos, queridos pais e mães, para a vida de vossos filhos e filhas. São jovens, cheios de vida, sonhadores e o que mais precisam é do vosso apoio e do vosso carinho. Não deixem que outras pessoas ocupem o lugar que é vosso, não deixem que busquem o apoio fora de casa.

Na história de José, seus irmãos já tinham decidido seu futuro, mas Deus tem sempre os seus planos. O único projeto decisivo é de Deus e “se estamos nas mãos de Deus, estamos em boas mãos”, dizia São Leonardo Murialdo.

O Evangelho nos mostra pela parábola que Deus é um pai amoroso e plantou uma vinha, cuidou dela com muito carinho e depois a confiou com arrendatários para que dessem continuidade e fizessem produzir frutos. Exegeticamente a vinha é considerada o povo de Israel, povo eleito (cf. Os 10,1), o filho do dono da Vinha é Jesus Cristo, o Senhor que veio e não foi acolhido.

Atualizando, esta vinha é o mundo criado por Deus nosso Pai, como um paraíso, um lugar para se viver bem com todos os recursos necessários para a vida e confiou a nós para que cuidássemos. Devido a ganância e a inveja que invade nossos corações não respeitamos os enviados de Deus, o Senhor Jesus nosso salvador, a Sua Palavra, o Seu Evangelho, não respeitamos a nossa própria vida

Que nesta liturgia o Espírito de Deus que recebemos no Batismo fecunde em nossos corações essa Palavra para que nos convertamos mais a Deus, e que retire do nosso coração toda inveja, todo ódio, para que realmente, o nosso coração seja semelhante ao de Jesus! 

Assim nos ajude a Virgem Maria!

Compartilhar
Conecte-se conosco