Mês de Março

Queridos irmãos e irmãs!

Estamos iniciando mais um tempo de graça onde o Senhor nos guia pelos seus caminhos e nesta quaresma nos apresenta um caminho ‘em subida’: subida ao monte Tabor para nos transfigurarmos com Ele; subida ao Monte Calvário para acolhermos o dom da nossa salvação pendendo do alto da cruz.

Este caminho ‘em subida’ é exigente, nos leva à conversão da mente e do coração, é necessário o despojamento dos empecilhos que tornam a vida mais pesada, é caminho de libertação de tudo aquilo que estraga e destrói a vida, sobretudo dos nossos vícios.

Por isso, a Quaresma é um tempo todo especial em nossa vida espiritual. Tempo de conversão e de reconciliação com o Senhor vividos no sacramento da Penitência através da confissão; tempo de oração mais frequente e prolongada, de Eucaristia e contemplação, de Grupos de Família, de Via Sacra e de mais tempo para a oração pessoal e familiar santificando a própria casa e a própria família. É tempo de caridade, de bondade, de reconciliação com os irmãos, de fraternidade, de atenção a quem precisa de nós.

Na Quaresma temos o grande momento da Campanha da Fraternidade para refletir e rezar sobre um tema importante que a CNBB propõe a toda a Igreja do Brasil. Neste ano um tema envolvente e questionador para todos: Igreja e Sociedade, “Eu vim para servir” (Mc 10,45). Na figura do cartaz da Campanha da Fraternidade vemos o nosso Papa Francisco lavando os pés de uma pessoa. Esse é um gesto profundamente cristão, uma atitude essencialmente evangélica e que nasce de um coração que ama a Deus e ama o próximo verdadeiramente.

Essa é a atitude, o sentimento e o pensamento que devem nortear a nossa vida cristã. A nossa sociedade necessita urgentemente de cristãos engajados, conscientes, laboriosos e decididos para enfrentar as grandes crises que estão diante de nós: crise política, econômica, social, de valores, de humanidade, na família, na Igreja, crise no coração de cada um de nós que se deixa envolver e dominar pelo relativismo e egoísmo da nossa cultura moderna.

Precisamos renovar tudo, partindo do nosso coração, estendendo aos mais próximos e alargando nossa ação aos demais para que consigamos renovar e reestruturar a nossa sociedade, libertando-a da corrupção, da hipocrisia, do individualismo, da cultura do descartável, abrindo-a aos valores do Evangelho que poderão reorganizá-la. Precisamos de mais solidariedade, fraternidade, justiça, busca do bem comum, atenção aos pobres e marginalizados.

O desafio é grande. Se fizermos uma boa Quaresma, renovando o nosso interior, poderemos ter uma Santa Páscoa. Mãos à obra! Comece por você mesmo e tenha a certeza que se você for melhor vai fazer com que os outros e a sociedade sejam melhores.

Boa Quaresma com as bênçãos do Senhor para todos.

Compartilhar
Conecte-se conosco